Você está em:Atendimento

Dicas nutricionais

O que é Nutrição Enteral?

Alimento para fins especiais, com ingestão controlada de nutrientes, na forma isolada ou combinada, de composição definida ou estimada, especialmente formulada e elaborada para uso por sondas ou via oral, industrializado ou não, utilizado exclusiva ou parcialmente para substituir ou complementar a alimentação oral em pacientes desnutridos ou não, conforme suas necessidades nutricionais em regime hospitalar, ambulatorial ou domiciliar, visando à síntese ou manutenção de tecidos, órgãos ou sistemas (Agência Nacional de Vigilância Sanitária, resolução 63 de 06/07/00).

Quais são as diferenças entre Dieta Artesanal e Dieta Industrializada?

Dieta industrializada: Alimento para fins especiais, industrializado apto para uso por tubo e, opcionalmente, por via oral. Consiste de uma fórmula balanceada preparada com nutrientes específicos, especialmente processados ou elaborados para ser utilizado de forma exclusiva ou complementar na alimentação de pacientes com capacidade limitada de ingerir, digerir, absorver ou metabolizar alimentos convencionais ou de pacientes que possuem necessidades nutricionais específicas determinadas por sua condição clínica

.

As dietas industrializadas diminuem a manipulação no preparo e, com isso, a possibilidade de contaminação.

As dietas industrializadas possuem também composição (micro e macronutrientes, viscosidade, osmolalidade e a densidade calórica) controlada e tendem a ter menos risco de contaminação. Podem ser encontradas na forma de: Pó (necessitando reconstituição ou diluição em água); Líquidas em Sistema Aberto (prontas para o uso, devendo ser envasada em um frasco plástico descartável); Líquidas em Sistema Fechado (prontas para o uso, sendo necessário somente conectar o equipo diretamente no frasco da dieta).

Dietas artesanais: As dietas artesanais são preparadas à base de alimentos in natura (leite, ovos, carne, frango, legumes, verduras, leguminosas, cereais e frutas), produtos alimentícios (suplementos proteicos, leite e ovos liofilizados, óleos vegetais e gordura de coco, amido de milho e açúcar) e módulos de nutrientes (apenas 1 nutriente isolado). Estas preparações variam quanto à sua composição e características, em função da forma com que os nutrientes são empregados, procedimentos e técnicas adotadas, etc.. Por isso, considera-se que tais preparações são de composição variável e podem necessitar de suplementação de vitaminas e minerais para se tornarem nutricionalmente completas.

O que pode causar contaminação quando uso Nutrição Enteral?

A possibilidade de contaminação pode ocorrer pela falta de técnicas de higiene adequadas durante o trabalho dos manipuladores, com os equipamentos e utensílios, além de outros fatores:

Ingredientes e módulos de nutrientes: os componentes não estéreis adicionados à nutrição enteral podem ser veículos de transmissão de micro-organismos.

Água: fórmulas enterais podem ser contaminadas com a água utilizada para diluição ou reconstituição

.

Medicamentos: os medicamentos adicionados às formulações enterais podem ser veículos de transmissão de micro-organismos.

Manipulação fórmulas enterais: tanto os locais de manipulação das dietas enterais como os manipuladores envolvidos e os utensílios e materiais utilizados podem ser responsáveis pela contaminação da nutrição enteral.

Temperatura: a temperatura ideal de conservação da NE sob refrigeração é de 2ºC – 8ºC. E a de administração deve ser em temperatura ambiente 15º - 30º. Ou conforme indicação do fabricante.

Transporte: a NE deve ser transportada em recipientes térmicos exclusivos, de maneira que a temperatura de 2ºC – 8ºC seja mantida

O que é Disfagia? Existe tratamento?

A disfagia é uma alteração na deglutição de alimentos e saliva, podendo ocorrer em diferentes fases da vida, ou situações clínicas, especialmente em idosos. Ela pode provocar sérios problemas, como desidratação, desnutrição e pneumonia, além do risco de morte por asfixia.

Sinais/sintomas frequentes relacionados a disfagia: dificuldade ao engolir, tosses ou engasgos, restos de comida na boca, sensação de algo parado na garganta, rouquidão ou dificuldade respiratória e/ou infecção pulmonar.

O que fazer? Caso haja a suspeita de disfagia procure a orientação de um profissional de saúde. A disfagia deve ser tratada por uma equipe de profissionais, como médico, nutricionista e fonoaudiólogo.

Qual é a importância da Suplementação Oral (SO)?

A suplementação oral é indicada quando o paciente não consegue atingir suas necessidades nutricionais por via da alimentação convencional e/ou estão sob algum tipo de risco nutricional. A via oral é usada em pacientes conscientes e com baixo risco de aspiração, como forma de suplementação alimentar.

A Suplementação Oral deve ser considerada como parte do tratamento da desnutrição para melhorar a ingestão energética, proteica e de micronutrientes. Pode melhorar efetivamente a ingestão nutricional total nas doenças agudas, crônicas, nos idosos e nos pacientes pré e pós-cirúrgicos.

A So auxilia na atenuação da perda de peso em pacientes com doenças agudas ou auxilia no ganho de peso em casos de pacientes crônicos. Dessa forma, podem ajudar a melhorar os resultados clínicos em pacientes hospitalizados ou em terapia domiciliar.

Consulte sempre o seu médico e/ou nutricionista, para saber sobre os benefícios da suplementação oral e sua incorporação dentro do tratamento.

O que é um cuidador?

Alguém que “cuida a partir dos objetivos estabelecidos por instituições especializadas ou responsáveis diretos, zelando pelo bem-estar, saúde, alimentação, higiene pessoal, educação, cultura, recreação e lazer da pessoa assistida”.

Pode ser uma pessoa, da família ou da comunidade, que presta cuidados à outra pessoa de qualquer idade, que esteja necessitando de cuidados por estar acamada, com limitações físicas ou mentais, com ou sem remuneração. Nesta perspectiva mais ampla do cuidado, o papel do cuidador ultrapassa o simples acompanhamento das atividades diárias dos indivíduos, sejam eles saudáveis, enfermos e/ ou acamados, em situação de risco ou fragilidade, seja nos domicílios e/ou em qualquer tipo de instituições na qual necessite de atenção ou cuidado diário.

Como devo armazenar a dieta enteral industrializada antes da administração?

A dieta dever ser armazenada em local fresco, seco e arejado, sem a presença de raios solares e longe de produtos de limpeza.

Posso guardar a dieta enteral industrializada na geladeira por quanto tempo?

Após abertura ou envase, as dietas devem ser conservadas sob refrigeração e consumidas dentro de 24 horas, ou conforme indicação do fabricante

Consulte sempre o seu médico/enfermeiro/ nutricionista, para saber sobre as formas de conservação da dieta.

Posso colocar mais água na dieta Enteral Industrializada?

Não é necessário, pois a dieta enteral já possui a viscosidade e a fluidez adequadas para ser administrada sem intercorrências.

Consulte sempre o seu médico/enfermeiro/ nutricionista, para saber sobre as formas de administração.

Posso misturar outros produtos com a dieta?

Deve-se tomar muito cuidado com esta conduta. Só acrescentar produtos que sejam próprios para esta finalidade e sejam indicações de um profissional de saúde. O acréscimo de qualquer produto na dieta enteral pode alterar a sua viscosidade, dificultando a sua administração.

Consulte sempre o seu médico/enfermeiro/ nutricionista, para saber sobre as formas de administração e indicações.

Posso aquecer?

O correto é que a dieta seja administrada em temperatura ambiente. Para isso, o ideal é deixar a dieta fora da geladeira cerca de 30 a 40 minutos antes da administração.

Consulte sempre o seu médico/enfermeiro/ nutricionista, para saber sobre as formas de administração e horários.

Em quanto tempo devo administrar a dose da dieta?

O tempo de administração dependerá do volume da dieta. O ideal é controlar o gotejamento que deve ser de, aproximadamente, 60 gotas por minuto.

Consulte sempre o seu médico/enfermeiro/ nutricionista, para saber sobre as formas de administração e horários.

Como fazer o controle do gotejamento da dieta?

Na extremidade do equipo que deve ser conectada no frasco de dieta, há uma roldana para a regulagem da velocidade de gotejamento da dieta. Quanto mais para baixo estiver a roldana, menor será a velocidade do gotejamento.

Consulte sempre o seu médico/enfermeiro/ nutricionista, para saber sobre as formas de administração e horários.

Como devo administrar a água de hidratação?

Para prevenção de obstrução da sonda, a melhor forma de se evitar esta ocorrência é a irrigação periódica do dispositivo com 20 a 30 ml de água potável, antes e após cada alimentação intermitente e a cada 4 a 6 horas, quando se empregar infusão contínua.

Fatores como diarreia, vômitos e febre podem afetar as necessidades hídricas. Em caso de dúvidas, consulte sempre o seu médico/enfermeiro/ nutricionista, para saber sobre as formas de administração e horários.

Posso administrar medicamentos pela sonda?

Devido à grande variedade de medicamentos disponíveis, bem como diferentes ações no organismo, caso tenha qualquer dúvida consulte sempre o seu médico/enfermeiro/ nutricionista, para saber sobre as formas de administração e horários.

Posso reaproveitar os frascos após o uso?

Não. A recomendação de utilização em domicílio, é de se utilizar 1 frasco e 1 equipo a cada 24 horas, descartando-os após este prazo.

Em caso de dúvida, consulte e siga sempre orientações do médico e/ou nutricionista.

xFechar

Precisa de ajuda?